O Despertar de um sonho

O Despertar de um sonho

DESPERTARAM

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Sentimentos e Atos

(...) Somos amantes muito antes de nos encontrarmos com a mulher ou o homem que será objeto do nosso amor. Somos como a criancinha que já ama o seio mesmo antes do primeiro encontro. Somos donos dos nossos atos mas não somos donos dos nossos sentimentos. Somos culpados pelo que fazemos mas não somos culpados pelo que sentimos. Podemos prometer atos. Não podemos prometer sentimentos.
"Eu sei que vou te amar, por toda a minha vida vou te amar..." Lindo e mentiroso. Não se pode prometer sentimentos. Eles não dependem da nossa vontade. Sua existência é efêmera. Como o vôo dos pássaros...(...) ¹
( Rubem Alves)



       O número de pessoas que se dizem escutar a voz do coração é incontável; vivem pelo instinto, o qual é capaz de abalar o emocional e criar vínculos, nem sempre verdadeiros. Quem, ouve o coração vive de emoção e perde a  visão do que é real. 
      Sou bem mais razão, porque o coração não pensa, só bate. Acho que maioria das pessoas deveria ouvir a razão e esquecer um pouco dessa historia do coração, de sentimentalismo intenso que estraga o pensar, coloca-o em segundo, terceiro plano e as vezes nem sequer o coloca no plano;
 A razão faz parte do pensar, do ser, da visão real dos fatos, coisa que a maioria dos corações se recusa a ver, escutar ou aceitar.
        A dessensibilização sistemática, neste caso cairia muito bem, (para aqueles que insistem em só ouvir o coração); ao contrario de que se possa pensar a dessensibilização não tornaria as pessoas frias, mas sim menos sensíveis, menos melosas, menos calorosas, e as tornariam capazes de mediar o espaço entre um e outro gerando um equilíbrio reflector entre entre o pensar e o querer.  Talvez,  esse seja o caminho.

¹ Este  fragmentos foi retirado de  "Os trinta e três nomes de Deus" que é um textos  de Rubem Alves inserido no Quarto de badulaques (LXXX) , poderá ser lido integralmente no site oficial do referido autor.
Lembrando que, o titulo original do fragmento é " Os trinta e três nomes de Deus".  " Sentimentos e atos"  é um nome ficiticio criado apenas para nomear o titulo dessa postagem.  O conteúdo do texto mantém toda a sua originalidade.

22 comentários:

Lucas Adonai disse...

Muito legal !

M.alves disse...

Obrigado pela visita e por seguir meu blog, seguindo o seu também. Abraço.

Alan Holanda disse...

sempre dou uma passada nesse blog
muito bom
http://provasetrapacas.blogspot.com

Aline Diedrich disse...

É isso mesmo, o equilibrio é o caminho...

Natália Pedroso (Ne) disse...

Muito bom, você sabe expressar realmente o que pensa!

Passarei sempre aqui!

Grande beijo

NP

Paullinha Sousa disse...

gosteii!
seguindo aqui *__*

Nação Esmaltada disse...

Adoro seus textos, acho que o problema do ser humano está na promessa, prometemos um mundo de coisas, mesmo sabendo que é impossível cumprir, prometer amar? é demais né!
http://nacaoesmaltada.blogspot.com/2011/11/1-sorteio-do-blog-100-fatias-de-fimos.html#comments
passa lá? tá rolando sorteio.;

João Alexandre disse...

Muito bom o seu texto!!! PARABÉNS!!!

Xael disse...

putz que texto maravilhoso. e triste, mas realmente queria tanto tirar o coraçao e nao poder sentir o tao do amor, aquele que tanto lhe faz sofrer, apenas pra mostrar que nao era a pessoa certa, nao era o momento certo, que nada erra certo... e alem de tudo te da a esperança de que tudo um dia vai ser certo.. queria muito pode seguir somente a razão... otimo texto parabens
leia e comente se puder.
http://airodebas.blogspot.com/2011/10/chuva.html?showComment=1319763208803

Samira Machado disse...

Muito bom o texto e a verdade pois ninguém escolhe o que sente ou por quanto tempo continuara sentindo!

Quando eu conseguir 500 seguidores vou fazer a primeira promoção do blog! Ajudem a divulgar e sigam.

http://thebookofmydreams.blogspot.com/

palavras ao vento disse...

belas palavras...texto muito bem escrito...

Sandro Mangueirense disse...

Concordo que não devemos deixar levar apenas pelo coração, mas discordo que a "dessensibilização" seja o caminho. Aliás, acho que a falta de sensibilidade é a maior doença do mundo atual. As pessoas não sabem o que é sentimento... Amar tornou-se algo fútil, ou um artigo que encontra-se em qualquer delivery ou fast-food! Talvez o excesso de razão seja culpado disso... Há que se encontrar um equilíbrio entre as duas coisas!

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

KGeo disse...

gostei muito do texto inicial

Tati disse...

Não concordo com o seu post... não acho que a falta de sentimentos/ emoção torna a vida mais correta, mais feliz, enfim... o que você chama de "dessensibilização sistemática" não me parece ser a melhor opção!

Karina Alme Legnani disse...

Respondendo as comentários:

Xael - não consigo encontrar tristeza no texto, ele somente expressa a verdade; e a verdade jamais pode ser encarada como triste, por mais dura que seja.

Sandro - ao seu modo as pessoas as fingem usar o coração quando na verdade so usam razão. Se a doença for o fingimento, dessensibilização não seria capaz de resolver.

Tati - Em momento algum eu me referi que a ausência de sentimento tornaria a vida mais feliz. Pelo contrário, o excesso de sentimentalismo é que é o problema. "O EXCESSO" sempre foi um problema em qualquer circunstância, e a dessensibilização não visa retirar as emoções, mais sim mediar as doses. O X da questão é o Equilibrio, coisa que falta praticamente em todas as áreas.

Mia disse...

Lindo!!!

Ana Lucia Nicolau disse...

realmente texto articulado e reflexivo...
abs

flor disse...

Eu venho agradecer sobre o alerta que me deixou sobre o poema que eu achei que fosse do Quintana rs.
Realmente, direito autoral é muito sério. Mais uma vez, obrigada, vou lá arrumá-lo.
Beijo

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

Honestamente, sou á favor de equilibrio...
O coração pode bater hitimado com a razão sim...
A gente não pode ser 8 ou 80.. não tem nem como..

KGeo disse...

é muito difícil escutar o coração

Patrícia ♥ disse...

Que lindo aqui *--*
eu super adorei

estou seguindo..
retribui??

beijos
http://momentosdapathy.blogspot.com
http://pathyoliver.blogspot.com

Guilherme Lombardi disse...

Sensibilidade também nos previni de nos machucarmos, a dor ou decepção fazem parte da nossa evolução.